Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘downcycling’

Reciclagem, upcycling, downcycling, sustentabilidade… Assuntos que já fazem parte do nosso cotidiano e que, às vezes, tendemos a achar que são apenas “modas passageiras”. No varejo de moda, muito além de preocupação com produção que obedeça determinados padrões, várias marcas estão expandindo suas preocupações com os assuntos acima citados para a área de merchandising visual e descobrindo que, quando bem planejado e de acordo com os valores e o espírito da marca, um projeto com materiais reciclados e reaproveitados pode ser tão bonito, eficaz e interessante quanto qualquer outro!

Stand da Muggia, no Rio-à-Porter: caixas de papelão na decoração e servindo de display

A carioca Muggia apostou em caixas de papelão para o VM do seu stand no Rio-à-Porter, no começo do ano. O projeto nos lembrou muito o da marca Smithfield Menswear, que também trabalhou com caixotes de papelão, economizando e criando um ambiente que, além de sustentável, pode ganhar um visual novo a cada dia – basta reorganizar as caixas e pronto!

Smithfield: ambiente sustentável, econômico, interessante e dinâmico

Paletes de madeira também são uma excelente opção para projetos diferenciados, funcionando tanto como displays, quanto como suporte para manequins, como no caso do stand da marca Reserva, também no Rio-à-Porter. Reparem que mesmo quando não são pintados, os paletes são objetos interessantes e que garantem uma “aquecida” ao projeto, principalmente quando feitos em madeira.

Paletes empilhados, pintados e com carimbo da marca, recheados com pedras, viraram lindos displays num stand da Bread & Butter

Paletes de madeira servem de suporte no stand da Reserva

Não sabemos de que marca é essa loja, porém adoramos o efeito que os paletes ajudaram a criar

E que tal usar sacos de areia com base para mesas expositoras? Parece loucura, mas garantimos que o efeito é incrível! Basta conferir a foto abaixo para ver como algo tão simples pode causar uma impressão tão forte e, ainda por cima, se tornar um diferencial.

Simples, lindo e capaz de causar impacto: sacos de areia viram suporte para mesas expositoras

Finalmente, conforme vimos em vários stands na Bread & Butter, em Berlim, estruturas industriais e metálicas fazem o maior sucesso quando usadas em stands e lojas, criando um ambiente contemporâneo, inovador e que destaca bastante as peças expostas, devido ao contraste entre peso e leveza.

Andaimes num stand durante o Rio-à-Porter

Grades metálicas, combinadas com ganchos metálicos, placas de madeira e paletes dão destaque aos produtos expostos

Fotos: Telma Aguiar, 11.16, Acervo Âme Consultoria/Reprodução

Read Full Post »

Há tempos que todos nós conhecemos e, felizmente, praticamos a reciclagem. E upcycling, todo mundo já sabe o que é? Vamos tentar entender um pouco melhor esses processos.

Na reciclagem, um produto X que é descartado será reutilizado na produção de outro produto X, ou seja, recupera-se um material e este torna-se matéria-prima do mesmo produto que fazia parte. Já o processo conhecido como downcycling existe quando se recupera um material para reuso em um produto com menor valor, ou seja, a integridade do material é, de certa forma, comprometido com o processo de recuperação e isto significa que ele não pode ser usado novamente para se fabricar o produto original. Por outro lado, o conceito de upcycling é, como podemos deduzir, um processo de recuperação que converte materiais desperdiçados/resíduos em novos materiais ou produtos com maior e/ou melhor qualidade e valor ambiental. Um exemplo bem conhecido é a utilização de lona de caminhões usadas na fabricação de roupas, bolsas, chapéus, bonés e outros artigos com alto valor agregado.

Definitivamente o processo de upcycling é o melhor em termos de recuperação de resíduos, pois transforma-os em matéria-prima ou produto com melhor qualidade e valor do que o produto que o gerou.

E como poderíamos juntar a idéia de upcycling com a de visual merchandising? Abaixo temos algumas ótimas idéias. Confiram!

Ambiente criado por Carla Dichy para a Casa Cor São Paulo, com parede revestida por retalhos de jeans. Trata-se de um lavabo, mas bem que seria uma ótima idéia para provadores ou interiores de lojas de moda jovem, não?

Ao invés de transformar os caixotes de feira em mesinhas e bancos, que tal usá-los como nichos na sua loja? O visual pode variar entre o moderno-despojado e o artesanal. Experimente!

Que tal usar bilhetes usados e descartados de loteria para forrar suas paredes, móveis e objetos? A dupla de artistas Ghost of a Dream (Lauren Was e Adam Eckstrom) apostam nessa idéia em instalações e objetos.

O armário feito com fitas cassete ficaria lindo no interior de qualquer loja moderna e descolada ou de uma loja de discos de vinil vintage

Fonte das informações sobre reciclagem e outros processos aqui.

Agradecimentos: Revista Marie Claire (foto do ambiente de Carla Dichy), 284 Blog (matéria sobre Ghost of a Dream), Raquel Loback (que nos enviou a foto da loja que utilizou caixotes de madeira) e Creative Barn (armário de fita cassete).

Read Full Post »