Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘lojas que amamos’

A marca belga Martin Margiela continua a expandir seu império fashion-minimalista-ultracool pelo mundo. Foi inaugurada em Pequim uma flagship store com elementos maravilhosos, como paredes e chão cobertos com ladrilhos brancos, tons de branco, cinza e off white combinados ao teto e escadas em cimento, criando um ambiente que nos remete a um laboratório-instalação industrial-futurista (isso sem falar que os vendedores usam jalecos brancos como uniforme!).

Na loja, a maior da marca até agora, são encontradas todas as criações com o selo MM, como roupas, acessórios e até mesmo a linha home. Contudo, a maior atração é, sem dúvida, o escorrega de alumínio que liga o segundo ao primeiro andar. Sensacional!

Nosso agradecimento ao queridíssimo Ivo Escossia pela dica maravilhosa!

Fonte: Freshness

Read Full Post »

Construída no prédio que, um dia, abrigou um banco, a flagship store da Spencer Hart, em Londres, manteve as enormes janelas (que viraram vitrines abertas), o pé direito alto e também pórtico na entrada, mas o projeto do interior é extremamente moderno e luxuoso. Chamamos atenção para o ponto focal: um display redondo de gravatas que pende do teto.

No alto, o pórtico, herdado do banco (esquerda) e o display redondo de gravatas (direita); abaixo, detalhes do interior da loja

Buscando atender de executivos à artistas, a marca procurou dividir bem o ambiente para que exibisse todo o seu mix de produtos: roupas, acessórios, perfumes, livros, filmes, música e até mesmo obras de arte. E para nos deixar com gostinho de quero mais, o porão abriga uma espaço tão VIP que a marca não liberou fotos! Amazing!

Detalhes da disposição dos produtos, entre eles roupas, DVDs e livros; abaixo, à direita, a fachada da loja

Fonte: Retail Design Blog

Read Full Post »

A loja da marca Eye Candy é maravilhosa. Inaugurada na Bélgica, o projeto é do escritório Creneau International e pretendeu explorar o relacionamento pessoal (e especial) com seus clientes. Como? Bem, as embalagens dos óculos são usadas como displays ao longo das paredes e, quando você compra um modelo, a caixa, acompanhada do modelo escolhido, é retirada do local. A idéia, segundos os designers, é prmitir ao cliente a sensação de levar pra casa um pedacinho da loja, literalmente.

O interior, com as caixas forrando as paredes e servindo de display para os modelos

No alto: detalhe da parede com embalagens como display (esquerda) e o caixa (direita); abaixo: as embalagens coloridas da Eye Candy (esquerda) e a lateral, que fica exposta nas paredes, criando o efeito colorido

 

Para entender melhor, que tal conhecer o case da Eye Candy?

 

 

Fonte: Retail Design Blog

Read Full Post »

La Galerie du Vin é um espaço criado pela empresa Albert Reichmuth, especializada em vinhos, que engloba, num mesmo ambiente, loja (são 570 marcas de vinhos, a maioria franceses, além de livros e revistas), showroom, espaço para degustação e até para workshops e palestras.

O projeto é do escritório OOS e foi inspirado nas caixas que são usadas para transportar as garrafas de vinho (no total são, aproximadamente, 1.500 caixas espalhadas pelas paredes e até mesmo pelo teto, dando a impressão de estarmos numa caverna). Mais uma vez, parece que o recurso de usar cubos, blocos e caixas como display foi empregado com sucesso!

Para conhecer: La Galerie du Vin, Feldstrasse 62, 8004 Zürich

Fotos: Reprodução

Read Full Post »

As lojas da marca Munich são sempre surpreendentes e com um projetos de merchandising visual e arquitetura de fazer cair o queixo. Em todos os projetos, as vitrines são abertas, revelando o interior, sempre muito bem aproveitado. Já em algumas lojas, as estruturas usadas como display no interior da loja também estão presentes na vitrine, como podemos ver nas fotos abaixo.

Fotos: Reprodução; Retail Design Blog; Design Warrior

Read Full Post »

Existem muitos motivos para visitar Hong Kong e a loja de Neil Barrett, com certeza, é um deles. Depois de “invadir” Milão e Tóquio, Neil Barrett inaugurou um novo espaço no shopping Landmark, na região de Sheung Wan. O interior, hipermoderno e elegante,  foi projetado pela starchitect Zaha Hadid, que já colaborou com marcas como Chanel e Melissa. Seu conceito é baseado na idéia de display landscape, segundo o qual cada objeto no interior da loja atua como uma peça de um quebra-cabeça, tornando-se parte de algo maior. A configuração zen do ambiente cria uma atmosfera espetacular de sobriedade e o contraste entre materiais e cores é bastante explorado: o mobiliário é todo branco, com detalhes cromados; as paredes são de concreto pintado de branco e, às vezes, forradas com espelhos; o chão é preto e impecável.

Atenção para o display na parede, à direita, que explora o conceito de movimento

O interior super minimalista e sofisticado da nova loja de Neil Barrett

O interior, amplo e sóbrio, oferece a última coleção outono-inverno da marca

Fotos: Superfuture

Read Full Post »

A loja da marca Opus Shop, em Taipei, é bastante diferente. Em suas paredes, ao invés das tradicionais prateleiras ou nichos, foram aplicados vários blocos de madeira, pintados de branco, que formam uma espécie de onda e que servem de display para os produtos. A estratégia confere a sensação de movimento ao espaço.

O mais legal é que a marca é especializada naqueles ganchos para pendurar a bolsa que as mulheres carregam pra cima e pra baixo (sim, uma loja inteira dedicada a esse produto). Definitivamente, para quem trabalha apenas como esse tipo de produto, um projeto de merchandising visual é fundamental para explorar bem a exposição dos produtos.

Alguns exemplares dos ganchos para pendurar bolsa, expostos nos displays inovadores

Na foto abaixo, uma maneira bem diferente e divertida de mostrar os seis pontos de distribuição da marca ao redor do mundo. Além disso, a pintura em amarelo, que está presente em todas as paredes no interior da loja, em espessuras diversas, serve de moldura aos blocos de madeira e cria a ilusão de profundidade.

A idéia do escritório Paradox Studio, responsável pelo projeto, era criar um espaço multifuncional, que abrigasse ao mesmo tempo loja, escritório para reuniões de negócios e ambiente para lançamento de produtos. Além disso, o projeto visou aumentar a sensação de amplitude do espaço, que é bem pequeno (aproximadamente 10,5 metros quadrados). Para entender melhor o visual da loja, que tal conferir uma imagem do projeto original abaixo? O relógio de parede, projetado pelo Paradox Studio, faz as vezes de um sol nascente, cujos raios são feito pelos ganchos da própria marca.

Olhando a imagem acima, vemos que as “ondas” estão mais para montanhas. Um projeto cheio de significado, que aproveita muito bem o pequeno espaço da melhor maneira possível e dá o destaque necessário aos pequeninos produtos. Perfeito!

A fachada da loja, cujo espaço era anteriormente uma garagem

Fotos: Dezeen

Read Full Post »

The Hundreds é uma marca americana de Los Angeles, voltada para o público masculino, que abriu mês passado sua quarta flagship store em Santa Monica, na Califórnia (a marca também tem lojas em Los Angeles, São Francisco e NY, cada uma com um trabalho de merchandising visual diferente). A marca é não envolve apenas o varejo de moda, mas também uma revista online e foi fundada em 2003 por Ben e Bobby Hundreds, que queriam incorporar aos negócios sua visão particular e diferenciada sobre  a subcultura das ruas. A combinação do estilo de vida de Los Angeles com a cultura californiana voltada para o skate, surf, punk e manifestações relacionadas ao hip hop ajudaram influenciaram os produtos de streetwear da marca.

A loja em Santa Monica tem dois andares, ótima iluminação e o branco predomina em seu interior, inclusive em móveis e displays, que criam contraste com as paredes de tijolos vermelhos. Aliás, essa combinação entre o rústico e o industrial, representado, respetivamente, pelos tijolos vermelhos e pelas grades metálicas pintadas de branco, com móveis e outros displays mais sofisticados, sempre ajuda a criar um espaço bem rico e moderno.

Também adoramos a brincadeira com a tinta branca, que parece pingar do letreiro gigantesco no interior da loja e cria uma poça enorme, que vai da vitrine ao salão de vendas. Mergulhados nela, objetos vintage e relacionados ao universo da marca, que parecem “fossilizados”: um skate, ao lado de um stereo gigantesco da década de 80 e até mesmo um crânio! Muito divertido e inesperado!

Outro detalhe bem bacana , no segundo andar, totalmente dedicado aos tênis, é que parte do estoque fica exposto no salão de vendas, mas não causa uma sensação de incômodo ou peso. Prova de que, com uma boa arrumação diária e manutenção das embalagens, até mesmo o estoque pode ser integrado ao VM e ajudar a criar uma atmosfera diferenciada.

A fachada, bem simples, com displays de grade nas vitrine

Contraste: tijolos vermelhos nas paredes e displays brancos e de acrílico translúcido

Grande letreiro com um detalhe muito interessante...

Parece que a ponta foi mergulhada em tinta branca!

Uma poça de tinta branca invade o chão da loja, com objetos vintage "fossilizados"

No segundo andar, só tênis, com estoque aparente

Fotos: High Snobiety

Read Full Post »

Quando você pensa em loja que vende bicicleta e acessórios relacionados ao ciclismo, que imagem aparece na sua mente? Bem, na nossa, tendo como parâmetro as lojas desse ramo de atividade aqui no Rio, só conseguimos imaginar um ambiente confuso, com produtos misturados, péssima iluminação e nenhum diferencial além do preço.

É por isso que babamos quando descobrimos a Pave Culture Cycliste, em Barcelona. Nada de sujeira ou graxa, a loja oferece diversos produtos relacionados ao esporte, das marcas mais importantes no mercado (como, por exemplo, Brompton e Rapha), num ambiente muito organizado e moderno.

Trata-se da mesma comparação que fizemos aqui, quando abordamos a questão de repensar os espaços comerciais, como no caso das óticas brasileiras e a Kirk Originals, uma ótica britânica que não está nem perto de se parecer com as que vemos por aí, com ambientes sem personalidade, produtos e displays que se misturam e geram poluição visual. Várias pessoas argumentam que, no caso das óticas, não há muito o que fazer, pois são lojas que trabalham com diversas marcas. Contudo, a Pave Culture Cycliste também trabalha com marcas diversas e, nem por isso, sua loja é um amontoado de displays e produtos das marcas revendidas por ela.

Confira, abaixo, o vídeo-teaser para promover o lançamento da loja. Dá para ter uma idéia do espaço da loja e da sua organização, mesmo durante o processo de obras.

No mais, basta olhar para algumas fotos para ter certeza de que, depois de conhecer a Pave Culture Cycliste, você se tornará mais exigente na hora de comprar sua bike e acessórios para ela…

O clima de garagem foi mantido devido ao chão rústico e ao uso de vários tons de cinza

A oficina não é sinônimo de sujeira, desorganização ou de graxa para todos os lados!

Dá para acreditar nos nichos que servem de display para os modelos de bicicleta? Bem iluminados e clean, para destacar todos os detalhes do produto.

Organização na hora de expor os produtos

Mais uma prova de que, além de expor produtos, nichos e displays ajudam a decorar ambientes, quando misturam a função expositora e acessórios de decoração

O lilás, cor que aparece em diversos detalhes no interior da loja, é aproveitado na estante expositora de calçados para ciclistas (reparem que, nessa área da loja, o chão é acarpetado, conferindo ao ambiente um clima aconhegante e confortável)

Fotos: The Cool Hunter, Hypebeast

Read Full Post »

Alexandre Herchcovitch é o estilista brasileiro mais pop da atualidade: sempre queremos saber o que ele está pensando, fazendo, criando… Babamos por todos os produtos que, ao longo do tempo, foram desenvolvidos por ele e grandes marcas nacionais, como Tok&Stok e Chillie Beans. Contudo, não existia uma loja que abrigasse toda essa gama de produtos com a marca AH. Agora, esse problema foi resolvido.

Fachada da loja em São Paulo

Exposição de produtos nas paredes, com a ajuda de pinos metálicos

Atenção para o VM: expositores de boné nas paredes, mesas, caixas acrílicas e mais pinos metálicos, num ambiente super clean que destaca as peças

No dia 26 de março, em São Paulo, o estilista inaugurou sua nova loja, localizada no número 56 da rua Melo Alves, onde encontramos sob um mesmo teto sua coleção de inverno 2011 e todos os produtos licenciados. O espaço é gigantesco (400 m²) e foi dividido em dois andares: no primeiro, temos a coleção masculina, num ambiente que mistura minimalismo e um clima urbano-industrial; no segundo andar, todo o resto da coleção de roupas e artigos de decoração dividem o espaço.

Ótima opção para expor sapatos, ainda mais quando sua loja é gigante como a da marca Herchcovitch; Alexandre

Destaque para alguns produtos - combinação entre exposição e iluminação

Poltronas com a estampa de lâminas em p&b são perfeitas para o ambiente, que combina estantes metálicas pintadas, araras e móveis com rodinhas

Quebrando o gelo: o ambiente fica mais acolhedor com os móveis em madeira e de linhas simples, contrastando com o tapete estampado e colorido

A loja oferece ainda nichos para abrigar os produtos lançados pelo estilista em parceria com grandes marcas, como Zêlo, Tok&Stok, Chilli Beans, Choice Bag, Pony, New Era, MiCasa e Ecosimple.

As canecas Herchcovitch; Alexandre para Tok&Stok

O projeto da loja é do arquiteto Tito Ficarelli, do escritório Arkitito.

Fonte: Chic

Read Full Post »

Older Posts »