Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘rebecca martinez’

Não é muito comum conhecermos as pessoas que projetam e executam as vitrines maravilhosas que vemos por aí, não é mesmo? David Hoey, diretor de criação de vitrines da famosa e tradicional Bergdorf Goodman, é uma exceção. Mago das vitrines, ele resgata rotineiramente filmes, contos de fada e seu próprio subconsciente para se inspirar, nunca muito certo do que poderá surgir. “A inspiração das pessoas que trabalham com vitrine e visual merchandising nunca é interrompida”, dia Hoey, que cria, em média, 450 vitrines por ano. “Gosto de dar as pessoas vários elementos e deixar que elas juntem as peças do quebra-cabeça sozinhas”, diz ele, misteriosamente, sobre suas criações, através das quais ele espera criar uma imagem tão transparente quanto sugestiva, a ponto de nos fazer pensar se realmente vimos aquilo ou se foi apenas um sonho.

Em julho desse ano a Bergdorf Goodman, com a ajuda de Hoey, resolveu celebrar a história do manequim, que evoluiu tremendamente desde sua primeira concepção em 1570, seguindo os padrões culturais e de beleza da sociedade em cada período de tempo. A preparação das vitrines levou 6 anos, ao longo dos quais a equipe de visual merchandising da BG adquiriu vários manquins de diversas fontes.

A vitrine da Bergdorf Goodman com as fotos de Rebecca Martinez ao fundo

As vitrines contam com as fotografias de Rebecca Martinez, uma fotógrafa de São Francisco, que na série denominada “Beauty Challenged“, capturou imagens de manequins vintage meio decadentes, estragados. Segundo Rebecca, “manequins são exemplares de uma perfeição jovial idealizada e inatingível… Esses clones do que a sociedade elege como ideal de beleza mantêm seu status por apenas um determinado tempo.”

Algumas das vitrines da Bergdorf Goodman com os manequins colecionados por Hoey e sua equipe durante 6 anos

Celebrados por sua perfeição estética em determinados períodos, os manequins retratados pela fotógrafa nos transportam para outras épocas e voltam a nos olhar firmemente, indicando que apesar do tempo e de nossas preferências estéticas, até hoje buscamos uma beleza idealizada, muitas vezes impossível de ser alcançada ou mantida por um longo período de tempo.

Devemos ressaltar, mais uma vez, a união entre moda e arte, com os produtos praticamente colocados em segundo plano (afinal, quando se olha para as vitrines acima, os produtos expostos não captam nossa atenção a priori). A vitrine não se destaca pelos produtos em si, mas pela cenografia nela exposta. E temos certeza de que o retorno do investimento feito nesse projeto não decepcionou a Bergdorf Goodman! Mais uma vez é importante lembrar que, às vezes, (super) exposição de produtos não chama tanta atenção quanto uma bela vitrine cenográfica.

Para mais fotos da vitrine “Beauty Challenged“, clique aqui. 

Fonte: L’Érudit 

Read Full Post »