Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘reciclagem’

Adoramos o novo projeto da Coca-Cola em Tel Aviv, Israel: uma pop-up store dedicada à reciclagem (ou melhor, ao upcycling), inaugurada no distrito de HaTachana, uma área nobre da cidade com muitas lojas de moda e galerias. O principal objetivo da marca é ajudar a desenvolver e promover a consciência sobre a importância da reciclagem, usando a moda como viés. 

Cartaz destacando a idéia de "refresh - recycle - re-use"

A primeira loja com esse conceito foi inaugurada em abril e, depois, várias pop-ups foram abertas por todo território israelense. Em todas elas, uma série de produtos únicos, feitos através do processo de upcycle, são comercializados: camisetas, bolsas, acessórios e até mesmo mobília, tudo foi feito através da reciclagem de garrafas de Coca-Cola. Em cada loja ainda é possível encontrar containers especiais para coleta de garrafas e o visitante que levar garrafas vazias ganha descontos especiais para comprar itens da coleção.

Uma pequena amostra de alguns dos produtos que são fabricados com materiais reciclados

Outro detalhe bem interessante é que a primeira loja dentro desse formato foi inaugurada durante o feriado judaico conhecido como Pesach, que, para a comunidade judaica, representa regeneração e purificação. Além disso, o projeto faz parte da campanha de reciclagem patrocinada pela Coca-Cola, conhecida como Give It Back“.

Vários manequins com roupas feitas de material 100% reciclado

Outros produtos feito com materiais reciclados e ecologicamente corretos são vendidos na pop-up store

Cada detalhe da loja nos surpreende e é quase impossível acreditar que os produtos são feitos de garrafas, rótulos e tampinhas.

Manequim com roupa feita de material reciclado. Atenção para o display, feito de caixas de papelão e destacando a campanha "Give it Back"

Fonte: Fashonably Marketing, Promarket News

Read Full Post »

Reciclagem, upcycling, downcycling, sustentabilidade… Assuntos que já fazem parte do nosso cotidiano e que, às vezes, tendemos a achar que são apenas “modas passageiras”. No varejo de moda, muito além de preocupação com produção que obedeça determinados padrões, várias marcas estão expandindo suas preocupações com os assuntos acima citados para a área de merchandising visual e descobrindo que, quando bem planejado e de acordo com os valores e o espírito da marca, um projeto com materiais reciclados e reaproveitados pode ser tão bonito, eficaz e interessante quanto qualquer outro!

Stand da Muggia, no Rio-à-Porter: caixas de papelão na decoração e servindo de display

A carioca Muggia apostou em caixas de papelão para o VM do seu stand no Rio-à-Porter, no começo do ano. O projeto nos lembrou muito o da marca Smithfield Menswear, que também trabalhou com caixotes de papelão, economizando e criando um ambiente que, além de sustentável, pode ganhar um visual novo a cada dia – basta reorganizar as caixas e pronto!

Smithfield: ambiente sustentável, econômico, interessante e dinâmico

Paletes de madeira também são uma excelente opção para projetos diferenciados, funcionando tanto como displays, quanto como suporte para manequins, como no caso do stand da marca Reserva, também no Rio-à-Porter. Reparem que mesmo quando não são pintados, os paletes são objetos interessantes e que garantem uma “aquecida” ao projeto, principalmente quando feitos em madeira.

Paletes empilhados, pintados e com carimbo da marca, recheados com pedras, viraram lindos displays num stand da Bread & Butter

Paletes de madeira servem de suporte no stand da Reserva

Não sabemos de que marca é essa loja, porém adoramos o efeito que os paletes ajudaram a criar

E que tal usar sacos de areia com base para mesas expositoras? Parece loucura, mas garantimos que o efeito é incrível! Basta conferir a foto abaixo para ver como algo tão simples pode causar uma impressão tão forte e, ainda por cima, se tornar um diferencial.

Simples, lindo e capaz de causar impacto: sacos de areia viram suporte para mesas expositoras

Finalmente, conforme vimos em vários stands na Bread & Butter, em Berlim, estruturas industriais e metálicas fazem o maior sucesso quando usadas em stands e lojas, criando um ambiente contemporâneo, inovador e que destaca bastante as peças expostas, devido ao contraste entre peso e leveza.

Andaimes num stand durante o Rio-à-Porter

Grades metálicas, combinadas com ganchos metálicos, placas de madeira e paletes dão destaque aos produtos expostos

Fotos: Telma Aguiar, 11.16, Acervo Âme Consultoria/Reprodução

Read Full Post »

Que tal fazer a programação visual da sua loja usando papelão? Hum, ficou com medo? Acha que não é possível ou que não ficará sofisticado? Ok, então temos uma surpresa para vocês!

Nem sempre precisamos usar materiais caríssimos para criar um efeito sofisticado. Além disso, usar materiais alternativos, como papelão, é uma ótima oportunidade de trabalhar com matéria-prima diferenciada e associar sua marca aos conceitos de upcycling, reciclagem e sustentabilidade. E mais: quando trabalhamos com materiais que normalmente não seriam utilizados em interiores de lojas e vitrines, sempre podemos contar com o elemento surpresa para encantar os clientes, que ficam emocionados com algo tão inesperado.

Abaixo temos alguns exemplos que confirmam o que dissemos acima. Esperamos que vocês gostem!

O interior da loja Smithfield Menswear, em Manchester, Reino Unido

O interior da Smithfield Menswear é decorado por caixas e tubos de papelão, tudo 100% reciclado, tarefa que foi executada por Peter Masters, do Burnt Toast Designs . O briefing era criar um espaço atrativo, sem gastos astronômicos, sustentável e que pudesse ser alterado facilmente, o que garantirá um visual sempre novo ao interior da loja – basta reorganizar as caixas e tubos de papelão, além das esculturas em forma de cachorro, inspiradas na logo da marca.

Pop-up store de Stella McCartney, criada por Giles Miller

Detalhes dos elementos utilizados, todos feitos em papelão, mas nem por isso mal acabados ou menos sofisticados

Outro trabalho feito em papelão que surtiu um efeito sensacional foi o do designer Giles Miller para Stella McCartney. O artista produziu letras de 2 metros de altura e nichos para a loja temporária da estilista em Paris e Londres. Os nichos são feito em papelão corrugado e laminado, cortado em direções diferentes, o que criou um efeito que nos lembra um trabalho de marchetaria (só que, nesse caso, trata-se de um projeto sustentável, onde ao invés de madeira foi usado papelão). Bom lembrar que a utilização desse tipo de material está relacionada à filosofia de vida e da própria marca de Stella McCartney, que procura trabalhar com materiais sustentáveis ou orgânicos e é vegetariana. Uma curiosidade: o acabamento dos nichos foi feito com folhas de ouro (o que garante um toque luxuoso ao projeto).

O projeto Karis, montado dentro de um shopping center em Hiroshima

O projeto Karis, desenvolvido pelos arquitetos japoneses do Suppose Design Office, fica dentro de um shopping center em Hiroshima e usa vários tubos de papelão no seu interior, de diferentes alturas e que pendem do teto, criando uma ilusão de que estamos dentro de uma caverna. A intenção era criar um espaço que abrigasse uma loja e, em outras ocasiões, eventos, e que proporcionasse formas diversas de vê-lo dependendo de onde o cliente se localizasse. Assim como dentro de uma caverna, que possui vários cenários em seu interior, a Karis oferece aos consumidores e curiosos uma experiência de compra que seria como observar produtos durante um passeio pela natureza.

A Karis, vista por outro ângulo (e são muitos os ângulos que o consumidor pode experimentar!)

Achamos que a idéia que serve de pontapé inicial para tais projetos é a de que não precisamos usar vários tipos de materiais, técnicas de fabricação e recursos para criar um espaço comercial que funcione e ainda seja interessante e inovador. Às vezes podemos fazer um belo trabalho com papelão, por exemplo.

Fotos: Dezeen

Read Full Post »

Há tempos que todos nós conhecemos e, felizmente, praticamos a reciclagem. E upcycling, todo mundo já sabe o que é? Vamos tentar entender um pouco melhor esses processos.

Na reciclagem, um produto X que é descartado será reutilizado na produção de outro produto X, ou seja, recupera-se um material e este torna-se matéria-prima do mesmo produto que fazia parte. Já o processo conhecido como downcycling existe quando se recupera um material para reuso em um produto com menor valor, ou seja, a integridade do material é, de certa forma, comprometido com o processo de recuperação e isto significa que ele não pode ser usado novamente para se fabricar o produto original. Por outro lado, o conceito de upcycling é, como podemos deduzir, um processo de recuperação que converte materiais desperdiçados/resíduos em novos materiais ou produtos com maior e/ou melhor qualidade e valor ambiental. Um exemplo bem conhecido é a utilização de lona de caminhões usadas na fabricação de roupas, bolsas, chapéus, bonés e outros artigos com alto valor agregado.

Definitivamente o processo de upcycling é o melhor em termos de recuperação de resíduos, pois transforma-os em matéria-prima ou produto com melhor qualidade e valor do que o produto que o gerou.

E como poderíamos juntar a idéia de upcycling com a de visual merchandising? Abaixo temos algumas ótimas idéias. Confiram!

Ambiente criado por Carla Dichy para a Casa Cor São Paulo, com parede revestida por retalhos de jeans. Trata-se de um lavabo, mas bem que seria uma ótima idéia para provadores ou interiores de lojas de moda jovem, não?

Ao invés de transformar os caixotes de feira em mesinhas e bancos, que tal usá-los como nichos na sua loja? O visual pode variar entre o moderno-despojado e o artesanal. Experimente!

Que tal usar bilhetes usados e descartados de loteria para forrar suas paredes, móveis e objetos? A dupla de artistas Ghost of a Dream (Lauren Was e Adam Eckstrom) apostam nessa idéia em instalações e objetos.

O armário feito com fitas cassete ficaria lindo no interior de qualquer loja moderna e descolada ou de uma loja de discos de vinil vintage

Fonte das informações sobre reciclagem e outros processos aqui.

Agradecimentos: Revista Marie Claire (foto do ambiente de Carla Dichy), 284 Blog (matéria sobre Ghost of a Dream), Raquel Loback (que nos enviou a foto da loja que utilizou caixotes de madeira) e Creative Barn (armário de fita cassete).

Read Full Post »