Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘referência ou coincidência?’

Anthropologie x Richards: referência ou coincidência? Adoramos quando os cabides viram objetos de decoração na vitrine, ainda mais utilizados de maneira tão diferente. Anthropologie, mestra em transformar materiais comuns e de uso cotidiano em objetos maravilhosos para vitrine, já trabalhou com cabides de diversas formas: forrados, formando a saia de um dos manequins, pendurados por fitas coloridas (como vemos abaixo) e até mesmo dentro da loja, formando uma espécie de “esqueleto” (bom, pelo menos nós achamos meio parecido! hehehe).

Anthropologie: cabides formando uma espécie de mosaico

Nesta outra vitrine, os cabides aparecem pendurados e também na saia do manequim

No interior de uma das lojas da Anthropologie, a estrutura feita com cabides nos lembrou um esqueleto

Essa vitrine com cabides forrados, também da Anthropologie, ficou perfeita!

Dentre tantas opções, a vitrine que mais nos chamou atenção foi a que aparece abaixo, pela semelhança com a vitrine montada na Richards. De qualquer forma, adoramos o resultado, que definitivamente chama bastante atenção.

Anthropologie

Anthropologie

Richards

Fotos: Reprodução, Acervo Âme Consultoria

Read Full Post »

Replay e Reserva apostaram em paredes forradas por vegetação verde e letreiros de neon vermelho, mas será que foi coincidência ou referência? Comparem…

Flagship store da Replay, em Florença

Detalhe da loja Replay

Loja Reserva, no Shopping Iguatemi, SP

Detalhe da loja Reserva

Fotos: ReproduçNao

 

Read Full Post »

Printemps

Stella McCartney

C&A, São Paulo

Fotos: Reprodução, Vimer

 

Read Full Post »

SALE, na Diesel, coberto com muitos fios

SALE, na Limits, com fios vermelhos

Nesse caso, achamos que foi um caso de referência. E vocês, o que pensam sobre isso?

 

Fotos: Reprodução

 

Read Full Post »

Recentemente uma polêmica tomou conta de blogs, sites e até mesmo de jornais de renome. Entre os envolvidos, a marca carioca Maria Bonita Extra e a Galeria Fortes Vilaça. O motivo foi um só: a Galeria, que representa o artista Ernesto Neto, acusou a marca de moda feminina de plágio.

O trabalho de merchandising visual feito para a vitrine de verão 2012 envolve uma grande escultura, criada pela artista plástica e visual merchandiser responsável, Lise Marinho, que declarou não desconhecer a criação de Ernesto Neto e que “artistas são antenas do mundo e, por isso, é comum encontrar pessoas em diferentes partes dele fazendo coisas similares” (trecho retirado de matéria do site Chic). A arista plástica também declarou que e inspirou no parque High Line, em Nova York, e num brinquedo de acrílico de montar, popular nos anos 60, citado também por Neto como o ponto de partida para a sua série de esculturas (segundo matéria publicada no jornal Folha).

À esquerda, a vitrine da MBE; à direita, a escultura Mitodengo, do artista Ernesto neto

O próprio artista disse que nem sabe se considera a escultura na vitrine da marca carioca um plágio, mas que trata-se de algo surpreendente. “Importa que as pessoas não achem que é minha escultura.”, declarou a Folha.

Para agravar a situação, a coluna do jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, do jornal O Globo (31 de agosto de 2011), publicou uma foto da vitrine da marca norte-americana J.Crew, na qual uma estrutura colorida idêntica à utilizada na vitrine da Maria Bonita Extra aparece.

Detalhe, à esquerda, da nota sobre a polêmica das vitrines

Detalhe da vitrine da marca J. Crew, de abril de 2010

Segundo a linha do tempo, a escultura de Ernesto Neto data de 2009; a vitrine da J. Crew é de 2010 e a da Maria Bonita Extra, de agosto de 2011.

 

Só nos resta perguntar, como sempre: “referência ou coincidência?

 

Fotos: Onze e Onze, She Fancies

Read Full Post »

Que color block é tendência, bem, todo mundo já sabe. E nós também falamos por aqui sobre uma possível tendência artsy, marcada pela presença de elementos que evoquem o ambiente criativo, como tintas, pincéis, baldes de tinta, telas, molduras e muita inspiração em obras de grandes artistas. Pesquisando por aí, achamos duas vitrines bem interessantes, com respingos de tinta de diversas cores. Super “referência ou coincidência?“!

Banho de tinta colorida...

Clima artsy e colorido nas vitrines acima

Fotos: EFF YEAH VM

 

Read Full Post »

As bicicletas, além de uma ótima opção de lazer e de exercício físico, tornaram-se ícones do estilo de vida sustentável, virando o meio de transporte favorito daqueles que não querem usar carro todos os dias. Grandes marcas internacionais fizeram versões luxuosas do produto e, é claro, as bikes invadiram vitrines e interiores de lojas.

Bicicletas grifadas

Há algum tempo mostramos num post a vitrine da marca Fred Perry, com rodas de bicicletas e outros elementos relacionados ao tema. E, ao que tudo indica, temos um trend alert (ou seria um “referência ou coincidência?“) aqui. Várias marcas, nacionais e internacionais, apostaram nas bikes para decorar vitrines e interiores.

Vitrine Fred Perry

Na vitrine da Richards, rodas de bike foram pintadas em diversas cores

E que tal essa vitrine, combinando bikes, neon e color block?

Vitrine Lord & Taylor

Rodas de bikes viraram displays

Abaixo, temos uma pequena seleção de várias outras marcas que apostaram nas bikes, como Acne, Camper, Gap, J.Crew, entre outras. Será que veremos mais vitrines com bicicletas por aí?

Para finalizar, que tal esse projeto da marca de tecido espanhola peSeta e o New Museum of New York? Conhecido como The Bicycle Cap, o projeto segue a tendência atual de contar ao consumidor a origem dos produtos que ele consome (falamos sobe isso aqui). O mais legal é que os caps são produzidos através de uma “engenhoca” que une bicicleta e máquina de costurar.

Olha a bicicleta aí, parte do projeto peSeta + New Museum of NY

Fotos: Reprodução, Starving, Onze e Onze, That Soviet Guy

 

 

 

 

 

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »