Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘terceira onda’

O futuro do marketing de moda está na colaboração com seus consumidores. Integrá-los ao processo de criação e desenvolvimento de peças ou quem sabe até na produção das vitrines é uma maneira bem esperta de estar em contato com o consumidor, envolvê-lo com a marca, conhecê-lo melhor e, assim, conquistá-lo. Uma vez criado esse vínculo emocional entre marca e consumidor, o retorno na hora de consumir será mais positivo.

Achamos que essa será a próxima grande tendência na área de marketing. Já superamos a fase de customização e a interatividade está começando a se estabelecer numa “área de conforto” (aquele momento no qual a marca que ainda não adotou a tendência acabou ficando de lado na corrida pelos consumidores), que não pode mais ser apontada como inovação – já virou must do no varejo de moda.

Mas no que consistiria essa colaboração? Revendo nosso post sobre interatividade, citamos o caso da marca Connected Generation, que já trabalha o conceito de crowdsourcing, envolvendo seus consumidores no modelo de produção. No caso da Connected Generation, o processo funciona assim: a equipe de estilo captura looks bacanas pelas ruas e incentiva seus consumidores a fazerem o mesmo, enviando as fotos via internet. Depois é montada uma galeria virtual com as melhores fotos e os consumidores podem votar online e escolher as melhores, que servirão de inspiração para a equipe de estilo.

A interação e colaboração voluntária dos consumidores com certeza ajuda a aproximá-los das marcas e, segundo Kevin Roberts, CEO da Saatchi & Saatchi, cria-se entre eles uma sensação de intimidade, que começa na empatia (envolve ouvir sempre e cada vez mais seus consumidores), passa pelo compromisso (que, misturado com doses certas de fidelidade, origina uma fidelidade além da razão, como a dos consumidores da Apple) e, finalmente, vira paixão (assim como nos relacionamentos humanos, é a única força capaz de fazer com que os consumidores resistam a tempos difíceis, quando o bom senso lhes diz para mudar).

Recentemente foi a vez de Derek Lam assinar um contrato com o eBay para criar uma coleção exclusiva que será exibida durante o desfile dele, em fevereiro. Em seguida, os interessados votarão nos seus looks favoritos, contribuindo, assim, para determinar quais deles estarão disponíveis para compra. Segundo Lam, “ter um diálogo direto e imediato com os internautas é o que faz a moda ser excitante e relevante nesse momento. A tecnologia do eBay me oferece uma oportunidade única e inovadora de alcançar clientes novos e os que já existem diretamente, e de criar a moda que eles desejam”.

Crowdsourcing:o novo rumo das marcas de moda para fortalecer o contato com seus consumidores e garantir sucesso nas vendas já foi adotado pelo estilista Derek Lam, em parceria com eBay

O mercado de moda deve abrir os olhos e aceitar que o conceito tradicional de consumidor não existe mais. Agora todos nós somos prosumers, ou seja, um híbrido de producer (produtor) e consumer (consumidor), ou professional (profissinal) e consumer (consumidor). O termo, criado por Alvin Toffler, escritor de “A Terceira Onda“, define bem o papel do consumidor na sociedade pós-moderna e aponta o rumo que já está sendo seguido por muitas empresas internacionais do segmento de moda.

Outro exemplo interessante é o da Anthropologie, que se aproximou dos seus consumidores e fãs promovendo workshops sobre suas famosas vitrines de final de ano durante os meses de outubro e novembro. Os interessados poderão ajudar a equipe que cria e monta antecipadamente todos os displays e vitrines para uma das épocas mais especiais do ano. Muito legal!

Fonte: Blog Lilian Pacce, Orange Beautiful

Foto: She Finds

Read Full Post »